Horticultores são instruídos sobre Programa Feira Verde

O Espaço Empreender (Rua Byngton, 253 – Vila Nova) da economia solidária recebeu nesta quarta-feira (1º) o engenheiro agrônomo André Maller, da Secretaria Municipal de Agricultura, para explicar aos horticultores como será feita a troca de produtos recicláveis por hortifrutis, pães, bolachas caseiras, geleias, mel e ovos. Basicamente, cada quatro quilos de recicláveis serão trocados por um quilo de alimento, podendo cada munícipe transacionar no máximo 20 quilos de vidro, plástico, papel e latas por cinco quilos de alimentos de uma só vez. “No ponto de troca haverá dois caminhões: um da Cocap e um com hortifrutis. Em um se deixam os recicláveis e em outro estão os alimentos”, disse André.

Estiveram presentes ao encontro os horticultores das hortas Acolher da UBS Ruth Eugênio e da UBS Maria do Café, os psicólogos Lucas Afonso e Letícia Fenato, a assessora Valdinéia Avíncola, a superintendente da Secretaria da Mulher Bete Berton, e a secretária da Mulher Denise Canesin, além dos horticultores. Todos foram recebidos pela coordenadora do Programa Municipal de Hortas Solidárias Maura Fernandes e pela equipe técnica formada por Ademir Fernandes e Adriana Carvalho.

Entre os beneficiados pelos programas municipais das Hortas Solidárias e, agora, com o Feira Verde, está o casal de catadores Silvanil da Silva e Odete Saldanha. Eles têm três canteiros na horta Acolher da UBS Ruth Eugênio, nos quais plantaram alface, rúcula, brócolis, almeirão, rabanete, espinafre, hortelã, menta, alecrim, lavanda, salsinha e cebolinha. Estão esperando a primeira colheita. “A gente está nessa horta desde o primeiro dia, há cerca de dois meses. Nós dois nascemos na área rural e a gente sempre teve o sonho de ter uma terrinha para plantar. Agora vamos comer de nossa horta e vender também”, relatou Silvanil.

Para a secretária Denise Canesin, o esforço conjunto da parceria entre as secretarias (Mulher e Assuntos da Família, Agricultura, Meio Ambiente, Serviços Públicos e de Assistência Social) propicia o espalhamento da experiência-piloto da horta do Espaço Empreender para outros equipamentos públicos municipais. “Nós já dispomos de nove hortas solidárias, beneficiando cerca de 50 famílias com alimentação mais saudável e geração de trabalho e renda. O Programa é um sucesso”, defendeu a secretária.

Saúde mental

A psicóloga Letícia Fenato, que coordena a horta Acolher da UBS Maria do Café, foi a pioneira na implantação de hortas-terapia, que hoje já estão também nas UBSs Ruth Eugênio e Vila Nova Ucrânia. “Percebi que em nossa unidade havia grande demanda de pacientes com depressão, transtorno da ansiedade, esquizofrenia, abuso de álcool. E eles são estigmatizados como incapazes. Fazer a horta e cuidar do que está plantado é uma atividade que ajuda muito na socialização desses pacientes, e esse é o primeiro objetivo da terapia por meio da horta, que dá um sentido de pertencimento a eles”, falou.

By Marcio Edison

Jornalista, comunicador, locutor da Rede de Rádios Apucarana/PR. Formado em Matemática (PUC/SP) e Comunicação Social (UNIP/SP) também é desenvolvedor web, palestrante de tecnologia e CEO da mexcorp.net (marcio@mexcorp.net)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *